Dias atuais


Sentado no meu quarto,
me proponho a escrever um poema,
mas do que falar?
sobre os amores?
sobre as dores?
sobre as paranóias?
ou anedotas?
Vem a mente de repente,
um pensamento.
Que tal falar sobre o seu dia?
Meu dia?
isso me arrepia,
meu dia
é o mesmo de todos os dias,
acordo as 7 horas,
tenho que trabalhar,
apesar de não querer ,
sou obrigado,
a se rebaixar.
A minha vontade
se encontra com a minha liberdade,
preso a minha necessidade.
Não falarei do meu trabalho.
Outra vez uma reflexão.
Que tal falar sobre a minha diversão?
A minha diversão é a distração da televisão.
De repente, veio a minha mente,
uma lembrança.
Já sei,
Não falarei, apenas recordarei,
aquele mês,
A luta contra o patrão,
a nossa decisão,
De não trabalhar
e de protestar.
Isso nos fez acordar,
A nossa luta produziu a reação,
contra a exploração.
Como boas pessoas que são,
os sindicalistas proibiu a nossa ação,
dizendo que isso era autogestão,
isso é ilusão.
Respondemos então:
_Não vem dizer o que fazer,
Eu não vou te obedecer.
Não vou esperar, a sua boa vontade de nos ajudar.
Foi nítida a reação,
A polícia em ação.
A batalha foi perdida,
Mas a guerra será vencida.


Adriano José
http://movaut.ning.com/group/poesialibertaria/forum/topics/dias-atuais

Nenhum comentário:

Postar um comentário